Jó e as tribulações da vida

Jó e as tribulações da vida

Jó 1:1 Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó. Era homem íntegro e reto, que temia a Deus e se desviava do mal.

Introdução:

Deus falou que Jó era justo e temente.

O próprio Deus o considerou um homem inculpável.

Se Jó vivesse em nossos dias ele seria considerado um filho de Deus.

2 tipos de condenação do diabo (não há outra arma que ele possa usar contra nós):

  • A acusação por causa do seu pecado; algumas vezes falando na mente e outras usando pessoas para jogar no nosso rosto a nossa falha; Esse tipo de condenação é mais fácil de lidar porque o pecado foi resolvido pelo sangue de Jesus!
  • A condenação que vem por causa da tribulação. Quando passamos por dificuldade e alguém questiona “por que será que isso está acontecendo com você”? Será que não existe algo errado? Essa é o pior tipo porque ficamos sem resposta diante dela.

Por que as pessoas estão nos deixando?

Por que passamos por dificuldades financeiras?

Por que passamos pelas enfermidades?

Essa sucessão de acontecimentos não lhe parece que Deus está dando sinais de algo está errado?

As pessoas jogam essas coisas na nossa cara com a intensão de nos ajudar, mas na verdade estão apenas lançando condenação sobre nós.

Abordagens do livro de Jó:

  • Jó foi testado e sua fidelidade foi questionada; será que vamos honrar a Deus no meio das circunstâncias adversas?

Infelizmente muitos deixam que as circunstâncias definam o amor de Deus por ele. Romanos capítulo 5 diz que Deus prova seu próprio amor para conosco na cruz do Calvário. Ele não tem que provar mais nada, porém haverá circunstâncias difíceis na vida e nessa hora deveremos nos manter confiantes de que somos amados por Deus!

Nessas horas nos levantaremos em fé e declararemos que o nosso redentor vive! Haverá uma nuvem de testemunhas que estará nos observando e vendo nossa resposta nessa hora.

Não é a circunstância que define o amor de Deus por mim, ou que define o nosso chamado.

  • Tudo o que aconteceu com Jó foi causado pelo medo e pela condenação.

Jó vivia com medo por se sentir desqualificado diante de Deus.

Não sabemos se isso é verdade, porém a maioria de nós aprendeu isso ao se converter.

1:5 E sucedia que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó e os santificava; e, levantando-se de madrugada, oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; pois dizia Jó: Talvez meus filhos tenham pecado, e blasfemado de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente.

 Ele viva com medo da condenação e do castigo. Ele não oferecia sacrifício porque tinham pecado, mas porque “talvez” tivessem pecado!

Por que Jó passou por tudo isso?

Não foi por causa do pecado.

Foi por causa da justiça própria!

Aquela situação era uma demanda divina.

Os 3 amigos de Jó

Quando os amigos de Jó chegam satanás desaparece!

  • Elifaz – representa a experiência

 Jó 4:7 Lembra-te agora disto: qual o inocente que jamais pereceu? E onde foram os retos destruídos?

O problema é que a experiência não substitui a verdade da Palavra de Deus.

Alguns fazem determinadas coisas e são punidos ao passo que outros simplesmente vivem impunemente.

  • Bildade – representa a tradição

Jó 8:8 Indaga, pois, eu te peço, da geração passada, e considera o que seus pais descobriram.

Verso 11, “Onde tem lodo vai ter papiro”, ou seja, se está passando por tribulação é porque tem pecado!

Se as coisas estão difíceis então só pode ser porque tem pecado!

Pastores deixam o ministério porque suas igrejas não crescem como deveria, é como se o favor de Deus não estivesse sobre ele.

Líderes param de liderar porque não multiplicam e por isso pensam que Deus os está reprovando.

  • Zofar – representa o legalismo

Jó 11:13 Mas o homem vão adquirirá entendimento, quando a cria do asno montês nascer homem.

Não podemos julgar a vida de ninguém baseados no seu sofrimento.

Se não há o que falar, não traga condenação!

Muitos de nós não falamos, mas acabamos condenando a pessoa que passa por problemas. Na cabeça das pessoas o pastor fiel não passa por tribulação, não passa por lutas.

Os amigos de Jó falaram verdades, mas foram mal aplicadas!

O pior legalista vai fazer a descrição da igreja perfeita.

Vai descrever uma igreja onde o amor é grande, a assistência social acontece, os líderes são santos, o poder atua sempre e no final pergunta: será que estamos vivendo assim?!

Alguns ficam enfatizando os crentes que vivem bem (segundo padrões humanos) e colocam como se aquele fosse o padrão. Quem vê e não consegue experimentar aquele estilo de vida se sente condenado porque não vive debaixo do favor.

Nota: no velho testamento o único móvel que não tinha tamanho definido era o candelabro. Não importa o tamanho, mas o peso importa, 1 talento de ouro!

O que aconteceu com Jó pode acontecer conosco hoje?

Eu duvido muito!

Penso que é improvável que o crente passe por algo parecido.

3 razões porque hoje o sofrimento de Jó não pode acontecer conosco:

  • Hoje nós temos um advogado. Satanás acusou Deus e Jó.

Nessa história não tem um advogado de defesa porque o Senhor Jesus não havia vindo ainda.

Jó reclama no capítulo 33 que não tem um intercessor.

Jó não tinha, mas nós temos!

Quando o diabo nos acusa a história é diferente.

  • A Bíblia diz que o Senhor Jesus já resgatou a propriedade.

Adão havia dado o controle da terra a satanás, mas Jesus tomou novamente a propriedade da terra.

Quando satanás chegou diante de Deus, ele foi na posição que Adão lhe havia dado.

Na cruz do Calvário Jesus comprou de volta toda a terra.

Em Ap 5 o Cordeiro tomou o livro selado de volta.

  • A Bíblia fala que no dia da Expiação o sumo sacerdote aspergia o sangue 7 vezes até a arca da Aliança.

Onde o sangue toca o maligno não pode pisar!

No Egito o anjo da morte não conseguiu tocar nas casas onde havia o sangue!

Há 3 argumentos que desqualificam as acusações de satanás contra nós:

  • Ele não é qualquer um, ele é filho e tem direito de toda herança do Pai!
  • Eu comprei, agora é meu e ele está em aliança comigo e tudo o que é meu agora é dele também!
  • Satanás não pode mais entrar na presença do Pai porque onde está o sangue o diabo não pode pisar!

Durante sua tribulação Jó falou: Deus deu e Deus tirou, mas essa afirmação foi dita por Jó e não por Deus.

Que segurança podemos ter se acreditarmos desse jeito?

Deus deu os filhos, depois ele decidiu tirar.

Deus deu o ministério, depois ele decidiu tirar.

A afirmação de Jó deveria ser: Deus deu, mas o diabo tirou.

Hoje em dia nossa declaração deve ser Deus deu e o diabo está tentando tirar, mas não tem legalidade para roubar. Se roubar, é ilegal e Deus o fará devolver tudo o que foi roubado!

Jó 19:6

Essa era a opinião de Jó a respeito do que havia acontecido com ele.

Por que Deus faria isso?

A única razão plausível para Deus fazer isso seria que Jó tivesse pecado.

O problema é que Jó disse que não havia pecado!

O 4º amigo – Eliú

Eliú representa Cristo.

Jó 33:22 A sua alma se vai chegando à cova, e a sua vida aos que trazem a morte.

Jó 33:23 Se com ele, pois, houver um anjo, um intérprete, um entre mil, para declarar ao homem o que lhe é justo,

Deus não usa condenação para ministrar em nossa vida hoje em dia.

A palavra de hoje é de fé, de vida, de favor!

Jó 40:7 Cinge agora os teus lombos como homem; eu te perguntarei a ti, e tu me responderás.

8 Farás tu vão também o meu juízo, ou me condenarás para te justificares a ti?

Deus fala que o problema de Jó era a justiça própria.

Conclusão:

A prova que Jó foi liberto da justiça própria foi que no capítulo 42 Jó orou pelos seus amigos.

Deus repreendeu os amigos de Jó porque falaram mal a respeito de Deus, falaram que Deus estava imputando pecado sobre Jó.

Muitas pessoas dizem que passam por problemas e que suas vidas são difíceis porque estão passando pela prova de Jó.

Outras dizem que passam pelo espinho de Paulo.

Tem também alguns que dizem que estão sendo perseguidos apenas por serem crentes e que o diabo está furioso com elas.

Na verdade essas são apenas algumas justificativas para aliviarem sua consciência e acomodarem sua teologia que não crê que Deus as favorece!

Precisamos nos convencer que a verdade no Novo Testamento está sobre nós: sou amado por Deus, meu Pai tem pensamentos de paz sobre mim, sou favorecido e se ainda não estou experimentando o melhor de Deus nesta terra, certamente não é porque exista pecado ou porque Deus não me ame!